A EDUCAÇÃO E AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO CONTEXTO DA PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS: O PROFESSOR “R” E O ESVAZIAMENTO DO ATO DE ENSINAR

Autores

  • Ana Paula Ribeiro de Sousa
  • Leonardo José Pinho Coimbra

Palavras-chave:

Pandemia, Ensino remoto, Tecnologias da informação e comunicação, Trabalho docente, Trabalho pedagógico

Resumo

Com a emergência de saúde pública deflagrada em função da disseminação do novo coronavírus no Brasil, em março de 2020, uma das primeiras medidas foi a suspensão das atividades presenciais nas escolas e universidades como forma de manter o distanciamento social e evitar a propagação do vírus. O presente texto analisa as implicações dessa medida no que se refere a adoção em larga escala do “ensino remoto” como substituição às atividades presenciais e do emprego das novas tecnologias de informação e comunicação nesse processo. Argumentamos que este processo fortalece a presença das tecnologias no ensino e acelera a adoção de um futuro modelo híbrido em todos os níveis de ensino num cenário pós-pandemia, o que vai ao encontro dos interesses das empresas que atuam no mercado educacional e dos governos neoliberais, por meio da redução dos custos com a educação pública, transferindo essa responsabilidade para as famílias. Discutiremos também os impactos do ensino remoto sobre o trabalho docente e sobre o ato de ensinar, avaliando que podem trazer consequências irreversíveis para a atividade pedagógica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Ribeiro de Sousa

Professora da Universidade Federal do Maranhão. Doutora em Educação.

Leonardo José Pinho Coimbra

Professor da Universidade Federal do Maranhão. Doutor em Educação.

Downloads

Publicado

2020-07-26

Edição

Seção

Artigos